Novos Conquistadores de Monte Castello

Novos Conquistadores de Monte Castello

Capítulo VI

Pedro Ferocidade estava realmente feroz com os rumos tomados pelo sistema de butim que foi instituído no Planalto. “Afinal, pra quê tanto milico na administração pública, dominada sobretudo por brancos? É um exagero. Estão dizendo que há mais de 3 mil deles na administração pública brasileira. Isso é demais Por acaso a farda garante que podem exercer qualquer ação no Governo?”

Ferocidade se lembrava dos tempos em que o Exército se revestia de glórias em ações como o assalto a Monte Castello, na Segunda Guerra. Agora, o negócio deles é assaltar cargos públicos. “Isso é uma vergonha para as Forças Armadas brasileiras”, bradava Ferocidade na porta de casa, com máscara, evitando aglomeração. Feroz como era, sabia entretanto que não era nada vantagem bancar o valente com o coronavírus.

A maior raiva dele, contudo, é ver o Presidente da República ir para uma lado, na campanha do coronavírus, e as outras autoridades irem para o outro. E não só isso. Está feroz com a atitude do Ministério da Economia de fazer poupança com o dinheiro público, mesmo quando há umam óbvia necessidade de financiar os pobres para ficarem em casa durante o perídio do isolamento social.

“A final, disse Ferocidade, pensando na situação de João Xinfrim, “como garantir que as pessoas fiquem isolados se não der dinheiro para as mais pobres delas sobreviverem”? “Que estupidez é essa”, insistia Ferocidade, que sabia não haver nenhuma possibilidade de garantir para todo o mundo o isolamento social “se não fosse garantido para todo o mundo o dinheiro da sobrevivência pelo tempo necessário para acabar com o vírus?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *